O protesto que importa

O protesto que importa está na cruz de Jesus Cristo, nosso Senhor Deus.

Vejo a nação brasileira em tudo acentuadamente revoltada. Revoltada com o que? Todo governo é o reflexo de sua nação. Na verdade, o povo parece ser predestinado a ser massa de manobra. Desde o inculto gritando palavras de baixo calão preso a um discurso enlatado, ilógico e vazio até os altos letrados, versados em todo tipo de lei, de filosofia, de ideias e ideais trocando entre si longas, eloquentes, enfadonhas e entediantes argumentações dos mais variados gostos e tons. Massa de manobra. Manobrados  de forma belíssima por um sistema que jaz no mais profundo horror da corrupção, degradação e depravação do homem mantendo-os num ciclo longe da solução real e eficaz.

Do que reclama o Brasil? Reclamam que a corrupção do Estado atingiu patamares absurdos, de que não há justiça, apesar de ser justa a indignação do povo brasileiro contra o sistema político que o governa, ela é parcial ao não considerar a própria corrupção individual de cada um. Todos legislam em favor de si mesmos. Todos estão encerrados no horror da corrupção de seus próprios corações.

Eis que os sábios se tornaram em idiotas. E onde está a sabedoria? A sabedoria está em discernir que o verdadeiro protesto contra este sistema maligno não está em atos solenes regados por palavras de ordem ou de patriotismo, não está em vestir a camisa do país e sair pelas ruas alienado em sua revolta egoísta e parcial, não está em nada disso, está, em verdade, num estilo de vida. O protesto que importa não é um ato eventual, mas é uma guerra declarada todo dia contra o estilo de vida corrupto desta nação, deste sistema abominável de corrupção em que estamos.

Toda vez que temos a oportunidade de roubar, corromper, legislar em benefício próprio, obter vantagem indevida, obter favores ilegais e imorais, de ser desonesto, toda vez que temos estas e outras oportunidades em mãos e as negamos, protestamos contra a corrupção. Uma única pessoa que deixou de aceitar alguma propina ou suborno em algum canto deste país fez com seu protesto infinitamente mais do que toda a multidão desta nação unida em marcha na nulidade de seus atos e na ineficácia de suas palavras de ordem. Por que? Porque esta multidão depois de protestar voltará para sua vida sem a consciência de que é tão ou mais corrupta do que as pessoas alvos de sua indignação. De que elas mesmas são a razão de sua indignação, porque todos, sem exceção, estão encerrados em sua depravação total.

Alguns defendem que é a educação que pode transformar alguém, de que é pela educação que teremos uma nação melhor. De certo, teremos uma nação melhor preparada, porém nem um pouco menos corrupta. Observe o meio acadêmico. Observe os melhores professores. Observe os melhores profissionais em suas respectivas áreas. O que todos eles tem em comum? A arrogância e o orgulho. Uns se dominam mais, outros menos. O meio acadêmico é um antro de corrupção, de vaidades estúpidas, de um individualismo vergonhoso, um centro da exaltação do ego humano. Arrogância e orgulho que frutifica não outra coisa se não egoísmo que, por si, frutifica tantos outros horrores. A única coisa que a educação pode fazer sobre o homem, e sua corrupção, é dividi-lo em duas classes: os corruptos estudados e os corruptos sem estudos.

Esta nação precisa de uma revolução para enfrentar este sistema corrupto que afronta a justiça. Porém, esta revolução não está no estardalhaço das manifestações nulas e hipócritas, mas, sim, no profundo silêncio do coração do homem. Esta revolução vem das mãos daquele que sonda corações e nos ensina o viver pela justiça, pela bondade e pela misericórdia. Esta revolução vem de Jesus Cristo, nosso Senhor Deus, que invade o profundo do coração do ser humano, destrona a tirania do ego e do egoísmo, e muda toda a constituição depravada do homem e dá lugar a uma nova constituição sobremodo excelente que vem de Deus que prega a honestidade, a paz, a justiça, a bondade, a graça, o amor ao próximo, a verdade e a misericórdia.

Somente esta nova constituição interior, esta nova cultura, este novo modo de viver dado por Jesus Cristo, pode transformar as coisas para melhor. Por ela somos desafiados dia após dia a lutar contra a nossa iniquidade, nossa natureza depravada e corrupta. Somente pelo viver em Jesus Cristo que vamos subverter a maldade de nosso coração em ações conscientes de amor que efetivamente influenciarão uma geração a deixar a corrupção.

Portanto, a revolução de Jesus é a única revolução que devemos buscar, porque ela é a única que transforma verdadeiramente a constituição do homem, que vai no profundo de suas estruturas e as convertem de todo o mal. Todo o resto é correr atrás do vento, é não sair do lugar, é negar a sabedoria e viver na penumbra da ignorância.

Este texto foi fechado pelo furação em chamas de “O Come, O Come Emmanuel” do pessoal do Sojourn.

Compartilhe!
Dorly Junior

Dorly Junior

Dorly Junior é servo de Deus. E descobriu no Senhor Jesus Cristo, nosso Deus, a genuína liberdade da escravidão do próprio ego. Curte Rock'n'roll e filme de terror. Atende no Facebook. Me acha lá! =D

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *